A música das moléculas de controle do peso.

Criando harmonia

As moléculas que se comunicam com o sistema nervoso controlam o apetite, a ingestão dos alimentos e o modo como os metabolizamos. Estamos aprendendo mais a cada dia sobre como essas moléculas se comunicam.

Equilibrio

Elas têm nomes variados, possuem formas distintas e origens diversas. Existem alguns poucos hormônios principais do metabolismo, mas, independentemente do tamanho da sua participação nesse processo, todos eles trabalham juntos para criar a complexa rede que constitui o metabolismo. Encontramos grande ajuda para essa harmonização com a Moringa Oleífera, considerada árvore da vida.

Essas moléculas estão por todo o corpo e são produzidas por sistemas muito diferentes, no entanto os principais centros de atividades são cérebro, os intestinos e as células de gordura. As moléculas fabricadas por essas células são os hormônios, os neurotransmissores e as citocinas.

Os hormônios são as moléculas mensageiras do sistema endócrino, incluindo as células de gordura. Os neurotransmissores são as moléculas do sistema nervoso e as citocinas são as moléculas mensageiras do sistema imunológico, incluindo também as células de gordura. Existem outros sistemas no organismo que tem a capacidade de criar essas moléculas mensageiras, porém esses são seus principais pontos de origem.

Harmonia2

Na realidade, essas moléculas são os sistemas primorosamente sintonizado e, espera-se harmonioso que determina a saúde e o metabolismo. As pesquisas estão começando a identificar quais delas nos proporcionam a sensação de saciedade, quais nos fazem sentir fome, de onde elas vêm, o que faz aumentar ou diminuir sua quantidade e como tudo isso controla o comportamento alimentar.

Mas existem algumas coisas que já sabemos com certeza.

Quando o vazio, o estômago secreta hormônios que dizem Ao corpo e ao cérebro que estamos com fome. Em seguida, o cérebro prepara o estômago para receber alguma coisa saborosa (semelhante à salivação dos cães no momento em que ouvi a campainha). Começamos a ter e secretar insulina só de pensar em comida.

Quando comemos, o alimento entra no estômago estimulando a liberação de hormônios, preparando o para digestão. À medida que o alimento é transformado no sistema digestivo se encaminha para a corrente sanguínea, mais mensagens coordenam o metabolismo, orientando o pâncreas a produzir insulina.

As células de gordura, por sua vez, enviam mensagens hormonais de volta ao cérebro, dizendo-lhe que devemos parar de comer, junto com sinais do estômago que indicam saciedade. Depois, o fígado processa a gordura e o açúcar e ajuda a coordenar seu armazenamento ou sua queima.

Toda essa engrenagem funciona sem que tenhamos a menor consciência dela. Quando está em desequilíbrio, esse processo de comunicação causa um efeito devastador ao nosso sistema.

Ficamos com fome logo depois de comer, acumulamos gordura quando deveríamos queima-la e nosso organismo começa a ignorar os sinais de controle normais do apetite e do metabolismo.

O resultado é ganho de peso e doenças.

Mas é possível influenciar diretamente as complexas melodias do sistema hormonal. Para isso,  siga essas seis etapas:

  1. Faça com que a composição das suas refeições seja perfeita
  2. Coma cedo e com frequência
  3. Consuma alimentos que controlam o apetite e evite aqueles que o desequilíbram
  4. Use ervas para otimizar o equilíbrio hormonal
  5. Utilize suplementos para controlar o apetite e equilibrar a comunicação entre as células, do cérebro do trato digestivo e de gordura
  6. Faça exames para descobrir as causas do descontrole do apetite

Atitude

Caso você esteja enfrentando dificuldade em controlar o apetite, será possível virar a mesa seguindo essas seis etapas. Fazendo isso, você personalizar a  prescrição do metabolismo de acordo com suas necessidades, permitindo a ativação dos genes que ajudam a emagrecer e a desativação daqueles que causam o aumento do peso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *